Plano de Ensino

ESTÉTICA – FIL 5170

Prof. Dr. Marcos José Müller

II- OBJETIVOS:
Ao término do curso o aluno deverá ser capaz de:
1. Identificar o “lugar” da problemática dos juízos reflexionantes na arquitetônica conceitual de Kant
2. Distinguir entre os juízos reflexionantes teleológicos e estéticos
3. Distinguir entre os juízos reflexionantes estéticos cujo objeto seja a “beleza”, a saber, os juízos de gosto, e os juízos reflexionantes estéticos cujo objeto seja o “sublime”, a saber os juízos sobre o sublime
4. Compreender as relações que Kant admite existir entre o juízo de gosto, o gênio e a arte bela.,

III- CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS
1. Estética, arte e conhecimento na tradição aristotélico-tomista (Leitura recomendada: ZINGANO, Marco. Capítulo II In: Razão e Sensação em Aristóteles. Porto Alegre: LPM, 1998)
2. Estética, arte e conhecimento na tradição cartesiana (Leitura recomendada: DESCARTES, Meditação Primeira e Segunda, In: Meditações Metafísicas. SP: Abril Cultural (Os Pensadores))
3. Nascimento da teoria estética: arte e investigação dos rudimentos empíricos da representação formal (Leitura recomendada: BAUMGARTEN, A . G.  A estética – III Parte, In: Estética: a lógica da arte e do poema. Petrópolis, Vozes, 1993)
4. Crítica da representação formal, método transcendental e Razão Pura (Leitura recomendada: KANT, I. Introdução, in: Crítica da Razão Pura. São Paulo: Abril Cultural (Os Pensadores)).
5. Razão Pura e Interesse Especulativo (Leitura recomendada: KANT, I. Prefácio à 2ª ed., In: Crítica da Razão Pura. Op. cit.)
6. Estética Transcendental (KANT, I. Estética Transcendental, in: Crítica da Razão Pura. Op. cit.)
7. Analítica dos Conceitos  (Leitura recomendada: Analítica dos conceitos, In: Crítica da Razão Pura, Op. cit)
8. Analítica dos Princípios: princípios determinantes, esquematismo e juízo de reflexão (Leitura recomendada: KANT, I. Capítulo I e II e Apêndice da Analítica dos Princípios, In: Crítica da Razão Pura, Op. cit)
9. Razão Pura e Interesse Práticoa
10. Diferenças entre os interesses da Razão Pura: legislação condicionada X legislação incondicionada (Leitura recomendada:Prefácio à 2ª Introdução à Crítica da Faculdade de Julgar, In: Crítica da Faculdade de Julgar. RJ: Forense, 1993),.
11. Unidade da Razão Pura e Sentimento Superior: reflexão na conformidade a fins  (Leitura recomendade: idem ao item anterior)
12. Juízos de reflexão teleológicos e estéticos (leitura recomendadea: idem ao item anterior)
13. Analítica dos juízos estéticos sobre o belo (Leitura Recomendada: KANT, I. Analítica do
Belo, in: Crítica da faculdade de julgar. Op. cit)
14. Analítica dos juízos estéticos sobre o sublime (Leitura recomendada: KANT, I. Analítica do sublime, In: Crítica da faculdade de julgar, Op. cit)
15. Arte bela e o gênio (Leitura recomendada: KANT, I. Arte bela e o gênio, In: Crítica da faculdade de julgar. Op. cit)

IV- AVALIAÇÃO
Durante o semestre serão realizadas três avaliações, assim distribuídas:
1ª - Apresentação de anteprojeto de texto versando sobre um dos pontos do conteúdo programático da disciplina. (Final de setembro)
2ª - Apresentação da primeira versão do texto. (Metade de novembro)
3ª - Apresentação da versão definitiva.(Metade de dezembro)

VII – BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
BAYER, Raymond. História de la estética. Trad. Jasmin Reuter, 6.ed. México: Fondo de cultura econômica. 1993.
FERRY, Luc. Homo aestheticus: a invenção do gosto na era democrática. Trad. Eliana Maria de Melo Souza. - São Paulo: Ensaio. 1994.
TERRA, Ricardo Ribeiro. Juízo estético e reflexão, In: NOVAES, Adauto (organizador) Artepensamento. São Paulo: Companhia das Letras. 1994.
LYOTARD, Jean-François. Sensus Comunis, Análise, Lisboa. 1987.
CASTORIADIS, Cornelius. A polis grega e a criação da democracia.
ROHDEN, Valério. O sentido do termo "Gemüt" em Kant. Analytica. Vol 1, Num. 1. 1993.
LEBRUN, Gérard. Kant e o Fim da Metafísica. SP: Martins Fontes, 1993.
_____. Sobre Kant. São Paulo: Iluminurias/Edusp, 1993
ALLISON, Henry. O idealismo transcendental de Kant. Madrid, Antrophos, 1992.